Notícias

Meta do Governo é chegar a 100% de cisternas na área rural, diz secretário

O secretário do Trabalho, Habitação e Assistência Social do RN, Vagner Araújo, declarou nesta terça-feira, 06, que o governo do estado tem como meta universalizar o acesso à água para famílias que vivem no semiárido através do programa de cisternas, realizado em parceria com o Governo Federal.

Segundo o secretário, um levantamento feito em parceria com o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (SEAPAC), estima em 29 mil a quantidade de cisternas que precisam ser construídas para chegar à universalização, algo que demandará recursos da ordem de R$ 60 milhões. "Com os 15 milhões assegurados ontem, vamos buscar os 45 restantes através de emendas de bancada e de outras fontes. O governador Robinson determinou essa meta e está dando todo o apoio para o seu cumprimento", declarou o secretário.

Além da Sethas, a Secretaria de Recursos Hídricos e o Projeto Governo Cidadão, que é financiado pelo Banco Mundial, estão executando obras de acesso a água em comunidades rurais nas diversas regiões do estado incluindo a perfuração de poços, adutoras, caixas d’água, sistemas de tratamento e distribuição e dessalinização.

Objetivos e Público Alvo

O programa de cisternas tem como objetivo a promoção do acesso à água para o consumo humano e para a produção de alimentos por meio da implementação de tecnologias sociais simples e de baixo custo.

O público do programa são famílias rurais de baixa renda atingidas pela seca ou falta regular de água, com prioridade para povos e comunidades tradicionais. Para participarem, as famílias devem necessariamente estar inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

O semiárido potiguar é a região prioritária do programa. Para essa região, o programa está voltado à estruturação das famílias para promover a convivência com a escassez de chuva, característica do clima na região, utilizando principalmente a tecnologia de cisternas de placas, reservatórios que armazenam água de chuva para utilização nos oito meses de período mais crítico de estiagem na região. A cisterna familiar de água para consumo, instaladas ao lado das casas, tem capacidade de armazenar 16 mil litros de água potável.