Notícias

Ampliação de mini fábrica de confecções fomenta economia de São Miguel do Gostoso

As treze costureiras do Assentamento Canto da Ilha de Cima, em São Miguel do Gostoso, estão vendo a vida mudar para melhor. Isso porque conseguiram equipar e reestruturar, através dos investimentos destinados aos projetos de Empreendimentos Econômicos e Solidários do Governo do RN, a mini fábrica de costura da comunidade. Agora vão poder aumentar a produção de roupas e vender para os municípios vizinhos.

O projeto está orçado em R$ 133 mil e inclui a reforma e ampliação da unidade fabril, aquisição de máquinas de costura e uma motocicleta para distribuição das peças aos clientes. "Nós já produzíamos aqui em pequena escala, com essa ampliação vamos ter uma maior produção e aumentar os lucros", assegura a costureira Francisca Vieira.

De acordo com a presidente da Associação das Mulheres da Agrovila II, Mariza de Souza, o processo de criação da marca está em andamento, em parceria com Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae. "A marca é uma exigência do mercado. Com ela fica mais fácil conseguir e fidelizar os clientes", diz.

O projeto de economia solidária é tocado pela Sethas e Governo Cidadão, com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. Segundo a titular da Sethas, Julianne Faria, gerar emprego e renda é uma das prioridades do governo. "É uma maneira de fomentar a economia do RN e beneficiar direta e indiretamente os moradores da comunidade", destacou.

O secretário de Gestão de Metas e Projetos, Vagner Araújo, defende a importância de investir em projetos voltados para as mulheres. "Acreditamos na força da mulher potiguar e o projeto da mini fábrica é um avanço e uma conquista significativa para as costureiras de São Miguel", frisa.