Notícias

19 de abril

Conta de energia terá reajuste médio de 3,38% no RN

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem um reajuste médio de 3,38% para a conta de luz no Rio Grande do Norte, com impacto para mais de 1,4 milhões de consumidores. Os novos valores entram em vigor no dia 22, segundo a Agência.

Segundo a Companhia Energética do RN (Cosern), para os clientes atendidos em baixa tensão, que representam 99% do total dos consumidores, incluindo os residenciais, o aumento médio será de 3,08%. Já os consumidores industriais e comerciais de médio e grande porte, atendidos em alta tensão, terão reajuste de 4,07%, em média. No entanto, de acordo com a Cosern, a variação nos preços somente será percebida de forma mais significativa nas faturas recebidas a partir de maio.

Como exemplo prático do reajuste, um consumidor residencial convencional que consome 100 kWh/mês terá sua conta reajustada de R$ 51,98 para R$ 53,60. Esse perfil de consumidor corresponde a 87% do total de 1,2 milhões de clientes da Cosern.

Do valor total cobrado na fatura, 22,3% ficam para a concessionária, de modo a cobrir os custos de operação, manutenção, administração do serviço e investimentos. Os encargos setoriais e impostos representam 40,6% nas faturas de energia elétrica. Já as despesas com a compra e transmissão de energia respondem por 37,1%.

"Isso significa que, para uma conta de R$ 100,00, por exemplo, apenas R$ 22,30 são destinados efetivamente à Cosern para operar e expandir todo o sistema elétrico de distribuição de energia no Estado", afirma a Cosern em nota.

O representante da Federação das Indústrias do RN (Fiern) no Conselho de Consumidores de Energia Elétrica da Cosern, João Batista de Lima, disse à reportagem, ontem, que não teve acesso aos detalhes da majoração nas tarifas por categoria para comentar com profundidade o assunto. No entanto, o industrial acredita que o setor deverá ser prejudicado com o aumento.

"Qualquer reajuste de preços é ruim, pois aumenta o custo da indústria e de todos os outros setores. A energia elétrica é um insumo importante, mas o aumento reflete nos custos e isso não é bom", disse.

Contatada, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomércio-RN) não encaminhou retorno a respeito do impacto do reajuste nas tarifas de energia para o setor até o fechamento desta matéria.

Estados

A Aneel também aprovou ontem os reajustes anuais para distribuidoras da Bahia,de Sergipe e do Ceará. As novas tarifas começam a valer no próximo sábado (22).O reajuste da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) será de2,82% para os consumidores residenciais e de 3,5% para as indústrias. A Coelbaatende a 5,8 milhões de unidades consumidoras em 415 municípios da Bahia.

Também haverá aumento para os clientes da Energisa Sergipe Distribuidora deEnergia (ESE). A alta será de 8,16% para os consumidores residenciais e de 11,36% para os consumidores industriais. A empresa atende a 748 mil unidades consumidoras localizadas em 63 municípios sergipanos.

A Aneel também definiu ontem que haverá redução de 0,33% nas tarifas para os consumidores residenciais atendidos pela Companhia Energética do Ceará (Coelce). Já para as indústrias atendidas pela distribuidora haverá aumento de 1,44%. A empresa atende a 3,4 milhões de unidades consumidoras localizadas em 184 municípios do Ceará.

Fonte: Tribuna do Norte

Índices do FPM

Data Previsão Realizado
02/03 170.828 174.457
09/01 1.4642 1.4642
20/01 0.6208 0.72

Obrigações Municipais